PERFIL

Minha foto
A poesia é liberta, não tem senhores; é sozinha, ao mesmo tempo multidão. Seu canal é o poeta, por onde passa, arrastando veias, fígado, mãos, olhos, coração.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

ESTAMOS MESMO NO FINAL DO MUNDO

BARBOSA ADMITE QUE MENSALEIROS PODERÃO TER PRISÃO IMEDIATA


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, disse hoje (20) em entrevista coletiva que a execução imediata das sentenças da Ação Penal 470, o processo do mensalão, não pode ser comparada com a tradição de julgamentos anteriores da Corte. Até hoje, o STF tem entendido que as prisões só podem ser decretadas quando não há mais possibilidade de recurso. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, reforçou ontem (19) pedido para prisão imediata dos condenados, que será julgado amanhã (21) por Barbosa.

Segundo o presidente, o STF sempre analisou pedidos de prisão em processos que corriam em outras instâncias, e não no próprio STF. “É a primeira vez que o STF tem que se debruçar em pedido de execução de pena decretado por ele mesmo, o STF, porque acima não há qualquer Tribunal”, explicou o ministro, descartando a vinculação automática a decisões anteriores do Supremo.

O fato de o STF ser a última instância de julgamento é o principal argumento usado por Gurgel para justificar a execução imediata das sentenças do mensalão. O procurador-geral apresentou a questão na defesa oral em agosto, no início do processo, e reforçou o pedido ontem por meio de nova petição. Como o STF já está de recesso de fim de ano, a questão será julgada individualmente por Barbosa.

Em petições protocoladas nesta semana, advogados dos condenados alegam que a questão não é urgente e pode esperar a volta do plenário em fevereiro. Também argumentaram que a decisão não pode ser executada enquanto todos os recursos não forem apreciados, porque em tese, ainda há chance de alteração no resultado do julgamento.

Perguntado se a prisão preventiva pode ser justificada pelo risco de fuga dos réus, Barbosa disse não vislumbrar algo que possa atrapalhar o andamento da ação penal. “Com o recolhimento dos passaportes acho que diminuiu significativamente”. O ministro ainda lembrou que o pedido de prisão preventiva já foi formulado pelo Ministério Público no início do julgamento, o que foi negado por ele, mas que agora “o momento é outro”.

Como ministro plantonista, Barbosa pode decidir sobre o pedido do Ministério Público de várias formas: rejeitando o pedido do procurador-geral, adiando para análise do plenário em fevereiro, acatando parcialmente ou totalmente. “Nós exercemos essa função correndo todos os riscos. Ministros de Suprema Corte têm que exercer seu trabalho com total responsabilidade. Devem sopesar efeitos e responsabilidades de suas decisões. E cada um assume o risco que acha necessário e possível assumir”, analisou Barbosa.

Fonte: Agência Brasil

domingo, 16 de dezembro de 2012

NATAL SAI DA FANTASIA PARA A REALIDADE

RELAÇÃO INCOMPLETA DO SECRETARIADO DO PREFEITO DE NATAL CARLOS EDUARDO

Gabinete Civil - Sávio Ximenes Hackradt, 56 anos, Formado em Comunicação Social pela UFRN e Pós-Graduado pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, onde é professor convidado na Pós-Graduação em Marketing Político e Propaganda Eleitoral.


Planejamento - Maria Virginia Ferreira Lopes, Formada em Economia pela UFRN (1981); especialização em Planejamento e Orçamento (1985), Projetos Econômicos e Sociais (1987). Trabalha no Dieese onde ocupou a função de supervisora técnica do escritório (1989-2005).

Secretaria Municipal de Administração - José Dionísio Gomes da Silva, Bacharel em Ciências Contábeis, Especialista em Gestão Universitária, Mestre em Administração, Doutor em Controladoria, professor da UFRN desde 1992, Professor Visitante da Universidade de Brasília-UNB desde 2000.

Secretaria Municipal de Educação - Justina Iva de Araújo Silva, Graduada em Serviço Social pela UFRN (1971), especialista em gestão pública (2002) e mestra em educação pela mesma instituição, onde exerceu o magistério no curso de Serviço Social de 1974 até 1994.

Secretaria Municipal de Saúde - Cipriano Maia de Vasconcelos, graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1980), mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1997) e doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2005). É professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Secretaria Municipal de Comunicação - Heverton Santos Freitas, 47 anos, formado em Comunicação Social – habilitação Jornalismo – pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero de São Paulo (1986).

Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo - Marcelo Toscano, engenheiro civil graduado pela Universidade Potiguar (UNP), tem pós-graduação em Gás e Petróleo pelo Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos (IBEC) e cursa atualmente o MBA em Gestão Empresarial Ambiental. Foi Assessor Especial de Empreendimentos da presidência na Companhia de Águas e Esgotos do RN/CAERN (entre abril de 2009 e abril de 2010). Diretor-geral do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do RN/IDEMA (de janeiro a novembro de 2011) e vinha exercendo a função de coordenador-geral da Vice-Governadoria (a partir de maio de 2012).

Secretaria Municipal de Cultura - Dácio Galvão, Mestre em Letras pela UFRN na área de concentração em Literatura Comparada, Doutor em Estudos da Linguagem na linha de pesquisa “Literatura e Memória Cultural” também pela UFRN, presidente do Conselho Curador da Fundação Cultural Helio Galvão.

Secretária Municipal de Assistência Social - Ilzamar Silva Pereira, Graduada em Serviço Social e Pedagogia pela UFRN, possui mestrado em Serviço Social pela mesma Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atualmente, é professora assistente da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Secretaria de Mobilidade Urbana - Elequicina dos Santos, engenheira Civil e de Segurança do Trabalho formada pela UFRN, possui especialização em Planejamento e Gerência de Transportes. Foi titular da então Secretaria de Trânsito e Transportes Urbanos (2003-2008). Presidiu o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Engenharia (CREA/RN) de 2000 a 2005.

Procuradoria do Município - Carlos Santa Rosa d’Albuquerque Castim, procurador concursado do Município de Natal, pós graduado em administração municipal pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal – IBAM, Rio de Janeiro. Já foi Procurador Chefe da Procuradoria Fiscal da PGMN no período de 1993 a 1997; Procurador Geral do Município de Natal no período de 2001 a 2002; Foi Sub Chefe da Casa Civil do Governo do Estado do Rio Grande do Norte no período de 2003 a 2006; Foi Secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social do Rio Grande do Norte no período de fevereiro de 2007 a julho de 2008.

Controladoria do Município - Fábio Sarinho, Formado em Engenharia Elétrica e em Direito pela UFRN, em 1992 e 1999, respectivamente. Especialista em Direito Administrativo e Gestão Pública pela UNP. Possui 20 anos de experiência na área de gestão pública, com passagem pelas Secretarias de Estado da Administração, do Planejamento e Finanças e dos Recursos Hídricos, além do DETRAN/RN e do TCE/RN.

Secretaria de Esporte e Lazer - Luiz Eduardo Machado Pereira, 31 anos, graduado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda – Com habilitação em marketing. Universidade Potiguar – UNP; MBA em Gestão Empresarial pela FGV – Fundação Getúlio Vargas.

Secretaria de Habitação e Saneamento - Homero Grec Cruz Sá, 53 anos, engenheiro elétrico (UFRN/1982) e Direito (UnP/2005). Servidor de carreira da Caixa Econômica Federal há 30 anos, tendo ocupado os cargos de Gerente Geral, Auditor, Gerente Regional de Habitação e Saneamento para o RN e Superintendente eventual. Foi secretário de Finanças (1997-2000), Assessor Especial da Previdência Própria (2004-2006), Secretário da Casa Civil (2007-2008), Secretário de Habitação e Regularização Fundiária (2009-2010) do Município de Parnamirim. Foi vereador em Parnamirim e Assessor Especial da Presidência da Caern.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

VOCÊ ACREDITOU NISSO ? ?


A CARA DA FALSIDADE!

SÓ, SOMENTE SÓ, MICARLA DE SOUSA PENSA

Prefeita afastada afirma ter sido condenada por 'indícios'

RENATA MOURA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, EM NATAL

Afastada da Prefeitura de Natal há um mês sob suspeita de desviar dinheiro público, Micarla de Sousa diz ser um "arquivo vivo" e que foi "condenada moralmente" apenas por "indícios".


Em entrevista à Folha, a jornalista de 42 anos, cuja gestão era reprovada por 92% da população, afirma que seu "martírio" começou após "dizer não" a "poderosos e influentes" do Estado.

Segundo a Promotoria, havia uma "rede de corrupção" na prefeitura, alimentada por verbas da saúde e da educação. Os recursos teriam bancado supermercado, joias e até funcionários pessoais da prefeita afastada.

Com base em documentos e em dados telefônicos e fiscais, o Ministério Público afirma ainda que servidores do primeiro escalão da prefeitura agiam como tesoureiros pessoais de Micarla e do ex-marido.

Dona da afiliada local do SBT, Micarla diz que já vinha de família rica, e que se endividou por ajudar "pessoas necessitadas". Afirma que a crise de gestão em Natal, que enfrenta caos em diversas áreas, é resultado do baixo crescimento do país. Leia a entrevista concedida no último sábado (1º), mesmo dia em que o PV a retirou da presidência estadual do partido:

FOLHA - Como está a rotina desde o afastamento?


MICARLA DE SOUSA - É a primeira vez que sou mãe "full time". É um aprendizado. No começo foi difícil. Porque antes eu acordava às 6h30, tomava café com os meus filhos e ia para a prefeitura. Sempre cheguei tarde, não almoçava em casa. Quando aconteceu isso [afastamento], eu me perguntava: o que eu vou fazer hoje?

O que foi mais difícil nesse período?

Trabalho desde os 16 anos. Estou com 42. Sempre trabalhei fora, como jornalista, executiva, empresária, como política e empresária --porque quando fui deputada continuei cuidando das empresas da minha família-- e depois como política em tempo integral. Mas o mais difícil para mim, o maior aprendizado, não foi a rotina. Foi ver quantas máscaras caíram nesse período e como o poder faz amigos e a falta dele afasta as pessoas. Posso confirmar aquela frase que diz que o poder embriaga porque 90% ou mais das pessoas que me rodeavam desapareceram da noite para o dia.

A sra. recorreu para tentar voltar à prefeitura. Se tivesse obtido decisão favorável, como teria sido esse retorno?

Tenho pensado muito sobre isso. Porque sou a primeira gestora na história do país cassada por liminar judicial. Não fui julgada, não fui denunciada. Não existe nada. Existem, apenas, como é colocado pelo Ministério Público, indícios de que haja alguma coisa. E por indícios eu fui julgada, condenada moralmente e afastada do meu cargo. Isso tem sido doloroso porque fui eleita por 193 mil votos, por 50,8% da população. Fui julgada sem direito à defesa. Nem o pior dos bandidos passou pelo que passei.

Como avalia as acusações?

É muito fácil acusar as pessoas. Queria só lembrar que vim de família que já tinha estrutura financeira que me permitia desde jovem ter acesso a algumas coisas. Agora chegar e dizer que Micarla teve gasto mensal de R$ 140 mil. Onde? [Francisco] Assis, que era secretário-adjunto financeiro da Saúde, trabalhava comigo antes de meu pai falecer. Meu pai faleceu há 14 anos. Ele [Assis] sempre cuidou da minha vida financeira. Encontraram na casa dele uma planilha mostrando quanto eu devia e não quanto eu gastava. Será que o fato de alguém dever, de ter cheque especial estourado, de estar sem cartão de crédito há dois anos, dá a alguém o direito de pensar que é uma pessoa má, que não tem caráter?

Como chegou a essa situação de endividamento?

Por não conseguir dar "não" a pessoas necessitadas. Quantas vezes peguei meu salário, meu cartão de crédito, para ajudar alguém que chegava e dizia: preciso fazer tratamento em São Paulo e preciso de passagem e hospedagem? Quantas vezes reconstruí casas que estavam para cair na cabeça das pessoas. As pessoas podem achar piegas ou duvidar. Mas isso provocou um descontrole financeiro meu. Chegaram ao ponto de dizer que a prefeita usava o dinheiro [público] para pagar a escola dos filhos. A escola está no Imposto de Renda do meu ex-marido. O que querem provar de mim? Até agora o que conseguiram provar é que tenho muito débito.

O Ministério Público aponta indícios de que a sra. e seu ex-marido tenham recebido propina em contratos na área de educação.

Encontrou-se um papel em que estava escrito "M" e "W" [segundo a Promotoria, as iniciais de Micarla e Weber, o ex-marido]. "M" com certeza não é Micarla. Posso provar e afirmar. Querem me transformar em uma bandida e eu não sou.

A sra. usou verba pública para fins pessoais?

Nunca. Durmo com minha consciência tranquila. Pedi ajuda à minha mãe com minhas contas. Isso é crime?

A Promotoria aponta que seus auxiliares se desdobravam para pagar suas contas pessoais. A sra. avalia isso como normal, considerando que ambos ocupavam cargos públicos?

Talvez tenha errado nesse ponto. Deixei a mesma pessoa [Assis] por questão de confiança. Porque ele fazia isso pra mim há mais de dez anos. Mas não acho que tenha algo de obscuro nisso. Ele trabalhava com a minha família há muito tempo. Ele fazia o trabalho dele na Saúde. Desdobrava-se às vezes, sim, mas nunca teve dinheiro público envolvido nisso.

Todos esses indícios são então inverdades, em sua visão?

Todos esses indícios me levam a crer que sou muito temida pelos poderosos. Tenho a sensação de que sei demais, de que sou um arquivo vivo de muitas coisas. O que aconteceu comigo foi uma grande história, uma grande estrutura montada, e não foi da noite para o dia. Acho que havia mais ou menos uma crônica da morte anunciada a partir do momento que comecei a dar "não" a algumas figuras.

Quais figuras?

A partir do momento que comecei a dar "não" às pessoas mais fortes e influentes do Estado minha vida começou a se transformar em um martírio, um calvário. Enquanto alguns sentiam que me tutelavam minha vida era tranquila. Quando viram que eu era um cavalo selvagem, que não tinha como colocar cabresto, a minha vida começou a tomar outro rumo.

Inimigos políticos deram munição ao Ministério Público?

Não posso dizer quem fez ou deixou de fazer isso. Foi uma somatória de questões como interesses quebrados e falta de apoios. Minha vida política foi meteórica. Em quatro anos participei de três campanhas e venci as três. Fui vice-prefeita em 2004, fui a deputada mais votada em Natal em 2006 e em 2008 fui eleita prefeita no primeiro turno contra todas as estruturas de poder da época. Fiz uma parceria com o povo.

Quais foram os frutos dessa parceria?

Entreguei 53 escolas de educação infantil em três anos. Investi muito em saúde. Entreguei três Ames [ambulatórios médicos de especialidades], uma UPA [unidade de pronto atendimento], o Hospital da Criança Sandra Celeste, reinaugurei o Hospital dos Pescadores, o Hospital da Mulher. Entreguei três maternidades. Passei de 2.000 crianças na pré-escola para 16 mil crianças. Três mil e duzentas famílias que moravam em favelas agora têm casa.

Atualmente vemos algumas dessas áreas com problemas. A educação ameaça suspender o ano letivo, há problemas de limpeza pública, ruas esburacadas. Você se sente responsável por essa situação?

Não. Natal não é uma ilha. Está no contexto do Brasil, que quando assumi tinha taxas de crescimento superiores a 8% e que vai crescer 1,9% neste ano. Um país em que para os metalúrgicos da região do ABC paulista, uma das maiores praças eleitorais do PT, não serem demitidos, retirou-se o IPI dos carros. O IPI e o Imposto de Renda são formadores do Fundo de Participação dos Municípios. Todos os municípios enfrentam empobrecimento. Outro ponto agravante é que tivemos nesse último ano bairros com inadimplência de 86% em relação ao IPTU. Alcançamos na média geral 50% de IPTU não pago. Não existe mágica. É igual na nossa casa. Se você tem despesa "X" e começa a ganhar menos, você tem que cortar. E chega uma hora que não tem mais de onde cortar.

O descontrole financeiro pessoal da sra. não se refletiu na prefeitura?

De forma alguma. Que atire a primeira pedra o município brasileiro que diga que não tem problemas. Em Fortaleza, em Recife, as pessoas reclamam de lixo e buraco. Há exemplos positivos, claro. O Rio de Janeiro, por exemplo, onde [o prefeito] Eduardo Paes [PMDB] tem apoio incondicional do governo federal e do Estado. Em Natal falta apoio do Estado. No âmbito do governo federal, quando Dilma assumiu consegui conquistar muitos projetos. Sempre tive apoio dela. Infelizmente nada chegou em tempo por causa de burocracia.

O que explica o índice de rejeição de 92% de sua gestão?

A falta de apoio político fez com que eu fosse um alvo fixo. E o fato de eu não abrir exceções fez com que todos quisessem que eu não estivesse mais ali. Eles precisam de alguém que seja manipulado, algo a que não me propus.

Acredita que pode voltar ao cargo antes do dia 1ë [de janeiro de 2013]?

O mínimo que deveria acontecer seria me darem o direito de voltar e fazer a minha defesa. Se sou colocada como bandida, como sustento depois os meus filhos? Vai ter sempre alguém me olhando e desconfiando se a história é verdade. Isso afeta não só a mim, mas aos meus filhos, minha família. Como cristã, fico pensando quando Jesus estava ao lado de Barrabás e Pilatos perguntou se ele queria se defender. Até ali, do lado do pior bandido, Jesus teve direito de defesa. Eu não tive isso. Temo que isso abra precedente para que outros gestores sejam julgados moralmente, condenados, tenham suas vidas completamente dizimadas antes de um processo judicial ser completamente concluído. Isso abre um precedente perigoso para a democracia do país.

Qual é a Natal que você entrega a Carlos Eduardo [Alves, PDT]?

Uma Natal que por um lado tem possibilidades imensas. Consegui conquistar R$ 338 milhões de recursos para a Copa. Tem um túnel, com mais R$ 140 milhões, que vai acabar com todos os problemas de alagamentos em Natal. Entrego uma cidade com R$ 10 milhões para asfaltamento. Entrego uma cidade com possibilidades mil por conta da Copa, mas também uma cidade que tem problemas sérios que são vivenciados pelos gestores brasileiros, de redução de arrecadação e isso faz diferença grande. Deixei uma Natal com certeza melhor do que quando assumi. E ele [novo prefeito] vai ter a sorte que não tive: a questão dos apoios. Eu desejo a ele muita sorte.

Quais são seus planos para 2013?

Eu saí da política. Volto a cuidar do que é meu, minha casa, minha vida como jornalista, minhas empresas. Quero ficar com os meus filhos. Quero escrever um livro, fazer uma trilogia sobre o início da cruz até os dias futuros.

Vai continuar filiada ao PV?

Não. Acho que a Justiça, o Ministério Público, até parte da população que não me conhece podia me tratar de forma distante, desconfiar de mim ou colocar qualquer tipo de questionamento. Mas o meu partido e meus companheiros não tinham esse direito. Durante oito anos fui presidente do partido. E agora, no dia que acontece o afastamento, me trataram da mesma forma do que os desconhecidos e a Justiça. Ninguém da direção nacional chegou para me prestar solidariedade, perguntar o que estava acontecendo. Simplesmente decidiram me afastar da presidência do partido. Não fui convidada nem sequer para o ato do novo presidente. O PV me tratou com ingratidão. Minha história com o PV sempre foi de amor. Agora esse amor acabou. Essa dor do PV foi infinitamente maior do que a dor da injustiça da Justiça. Vou me desfiliar nos próximos dias e fechar esse ciclo.




terça-feira, 27 de novembro de 2012

ADORMECIDA NO SEU CÁRCERE ANCESTRAL

FILTRO DE AMOR

(Lucinha Moreno)

Os olhinhos dela
Faiscaram ruínas de perigos
Sobre o corpo de pétalas da amada
Estendido na relva do desejo.

Abriram-se as portas do inferno
Amaldiçoando as feiticeirinhas
Rendidas aos pés de lótus
Concebidas de mistérios.

Dedinhos finos circulavam incestuosamente
Pescoço, vísceras, desbriados lábios
Extraíam ultrajantes sortilégios
Dos seus destinos fatais
Num sensual obscurantismo inerente.

Voluptuosas,
Manipulavam sutilmente
Escondidas entre as brasas
Encantos e filtros de amor.

Alaúde toca
Antes do fatal amor aliciar
A benfazeja
Adormecida no seu cárcere ancestral.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

UMA PREFEITA PARA NUNCA SER ESQUECIDA

NATAL JAMAIS ESQUECERÁ TAMANHO DESCASO.

01.11.2012 - DIA DE VACINAR CÃES E GATOS


"Com um lindo salto
leve e seguro
o gato salta
do chão ao muro
logo mudando de opinião
salta de novo
do muro ao chão..."


RICARDO RODRIGUES EM TEMPOS DE JUSTIÇA


A JUSTIÇA



domingo, 25 de novembro de 2012

UMA PLEBÉIA POTIGUAR COM VIDA DE RAINHA

Revista Veja ressalta “gastos de rainha” e corrupção da prefeita Micarla de Sousa


Data: 24 novembro 2012 - Hora: 19:00 - Por: Ciro Marques

Quando já começava a ser “esquecida” pela imprensa natalense, Micarla de Sousa, do PV, virou destaque da imprensa nacional. Na edição desta semana da revista Veja, uma das mais importantes do país, os “gastos de rainha” da prefeita afastada de Natal foram ressaltados em matéria assinada pelo jornalista Marcelo Sperandio. Gastos esses, claro, alvo de investigação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MP/RN), por suspeitas de terem sido custeados com recursos públicos desviados por meio de contratos oficiais irregularidades.

“Folha salarial de dezenove funcionários domésticos, como motorista, faxineira, governanta e secretária: 21 500 reais. Gastos com roupas e relógios: 5 800 reais. Viagens internacionais: 35 000 reais. Reparos na casa: 11 600 reais. Esses são alguns dos gastos mensais de Micarla de Sousa (PV), afastada da prefeitura de Natal no mês passado sob acusação de desviar dinheiro de contratos públicos”, começou a matéria da Veja, citando ainda que conta chegou a R$ 180 mil por mês – mais do que todo o ganho declarado por Micarla durante um ano, de R$ 168 mil (seu salário era de meros R$ 14 mil da Prefeitura).

A reportagem conta que a investigação do MP começou em 2011 e detectou problemas em várias áreas da Prefeitura de Natal. “Os primeiros indícios de irregularidades surgiram em contratos da Secretaria de Saúde, que somavam 65 milhões de reais – e, segundo os promotores, eram superfaturados”.

Na Veja, é relatado que os indícios de irregularidades logo se espalharam e foram encontrados, também, na pasta da Educação. “Em apreensões feitas nas casas de secretários municipais, foram encontradas planilhas sobre distribuição de propina. Esses documentos informavam que Micarla ficava com 10% do valor total dos contratos de uniformes escolares e merenda. O marido da prefeita, Miguel Weber, levava 5% dos uniformes e 2% da merenda, de acordo com as planilhas”.

Só nesse caso, segundo a revista baseado em conclusão do Ministério Público, o casal teria “amealhado” R$ 194 mil. “Foi nesses arquivos que os promotores localizaram as tabelas com os gastos pessoais da prefeita afastada de Natal, totalmente incompatíveis com os seus rendimentos – ao menos os oficiais”.

DINHEIRO SUJO

A Revista Veja, porém, não citou apenas a atuação do casal Micarla de Sousa e Miguel Webber. Afirmou também que “a irregularidade típica do dinheiro sujo – que não cai todo mês na conta, como o salário dos funcionários honestos – ajuda a explicar o malabarismo que assessores de Micarla tinham de fazer para lidar com os problemas bancários da chefe. Francisco de Assis, coordenador da Secretaria de Saúde mas na prática secretário particular da prefeita, era um dos mais atarefados”.

Nesse contexto, a Revista apontou partes das conversas colocadas pelo Ministério Pùblico no pedido que resultou no afastamento da prefeita Micarla de Sousa, por decisão do desembargador Amaury Moura Sobrinho, em outubro. “Em algum momento, pressupõe-se, a conta deixou o vermelho, já que Micarla continuou com crédito. Mas só no banco. Entre a população, não se pode dizer o mesmo: a rejeição é de 92%. Descrédito total”, finaliza o texto da revista Veja.

DESTAQUE NACIONAL

A repercussão nacional que ganhou força nesta semana com a publicação da Revista Veja já não chega a ser novidade. Afinal, pelo menos nos grandes sites de notícia do país, como Folha de São Paulo, Uol Notícias e Estadão, o afastamento de Micarla de Sousa por envolvimento em corrupção já havia sido ressaltado. Porém, poucos tinham ido além e noticiado não só a saída da prefeita do PV, como também detalhes do processo que, por decisão judicial, também não está mais em segredo de Justiça.

Em Natal, O Jornal de Hoje tem acompanhado o caso desde o início, inclusive, deu em primeira mão que o deputado federal Henrique Eduardo Alves, do PMDB, foi citado em algumas das conversas como uma pessoa que os empresários da Associação Marca, acusada de pagar propina a membros do primeiro escalão da gestão municipal e ser favorecida em contratos públicos, queriam se aproximar para ganhar força no Estado.

Apesar de indícios “graves” já terem sido revelados, o Ministério Público do RN, por meio do procurador-geral de Justiça, Manoel Onofre Neto, afirmou que novas provas, que podem ser consideradas ainda mais graves, também foram descobertas nos últimos dias, com a continuidade das investigações.

Na sexta-feira, por sinal, Micarla de Sousa perdeu o recurso que movia no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para voltar a Prefeitura. Paulinho Freire, do PP, continua no cargo. Na sexta, também, servidores municipais da Controladoria-geral do Município denunciaram que o prédio do órgão foi invadido e, de lá, teriam sido levados documentos, o laptop da chefe de gabinete com ordem de pagamos e mensagens, e o processo da Ativa (também suspeita de irregularidades e investigada pelo MP). Boa parte desses papéis poderiam dificultar ainda mais a situação de Micarla de Sousa diante da Justiça.



quinta-feira, 22 de novembro de 2012

PIETRA FERRARI NAS ONDAS DA TV POTIGUAR

LINDA E CARISMÁTICA, PIETRA  É SUCESSO!!!


- Arrase e cause, lindíssima!!!


ENTÃO É NATAL E O ANO NOVO JÁ VEM

NÃO TINHA AONDE CAIR MORTO, AGORA…


Por O Santo Ofício
22 novembro, 2012

Paulo Wagner ultrapassa Fábio Faria e já é o campeão em gastos da bancada potiguar
Por Luís Fausto

No começo de julho, ao consultar os portais de transparência da Câmara dos Deputados e do Senado Federal , eu constatei que a bancada do Rio Grande do Norte já havia gasto, só nos primeiros seis meses do ano, mais de R$ 1 milhão com verba indenizatória – aquele dinheirinho extra que os parlamentares têm para gastar como e onde quiser.

Para ser mais exato, a conta ficou em R$ 1.094.034,40.

Voltei hoje aos portais, para saber como andava a festa da bancada potiguar. E verifiquei que o estrago, em mais quatro meses de uso contínuo, já passou dos R$ 2 milhões. Em números exatos: R$ 2.136.900,63.

E se até julho o campeão de gastos era o deputado Fábio Faria, do PSD, hoje o vitorioso absoluto é seu conterrâneo Paulo Wagner, do PV.

Wagner, que estava em segundo lugar no primeiro semestre, pulou para o primeiro com gastos que já chegam a R$ 257.931,90. E o que impressiona, o que salta aos olhos, é que R$ 54.000,00 foram utilizados para “divulgação da atividade parlamentar”. Que atividade, não sei. Alguém sabe?

Em segundo lugar agora aparece a deputada mossoroense – e socialista – Sandra Rosado, com R$ 228.777,68.

Fabio Faria caiu para a terceira colocação, com R$ 219.376,08.

Em quarto está Rogério Marinho, o tucano de bico caído: R$ 215.381,14.

Em quinto, João Maia – R$ 213.271,31.

José Agripino Maia, o probo senador democrata, é o sexto colocado, com uma fatura de R$ 202.465,05, e continua colocando nas nossas costas a conta mensal de R$ 3.035,11 da segurança privada de sua mansão brasiliense.

Na sétima colocação vem seu filho, o deputado Felipe Maia, com R$ 196.671,09.

O oitavo é Henrique Eduardo Alves: R$ 190.257,38.

Fátima Bezerra, do PT, é a nona: R$ 175.603,83.

E na rabeira aparecem dois senadores: Paulo Davim (R$ 146.692,13) e Garibaldi Alves (R$ 90.473,85).



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

COMO EU JÁ DIZIA: É UMA QUADRILHA AMADORA

Assepsia: veja quem é quem na rede de corrupção disseminada na administração municipal


Publicação: 07/11/2012 18:11 Atualização: 07/11/2012 20:13

Por Sergio Vilar, do DN Online

Operação Assepsia foi caracterizada pelo Tribunal de Justiça como uma "verdadeira rede de corrupção disseminada pela Administração Municipal, sendo os principais atores a prefeita Micarla de Sousa e seu esposo, Miguel Weber. Foi a prefeita quem "comandava" as negociações realizadas no âmbito do grupo criminoso estruturado no poder executivo municipal.

Foram meses de investigação para constatar a forma de operação complexa do esquema de desvio de recursos públicos a partir da identificação de seus integrantes e funções por eles desempenhados. Foram descobertas estreito relacionamento das finanças públicas com as finanças pessoais da prefeita.

Tudo começou a partir do caos instalado na saúde já em 2008. Em 2010 foram pactuadas várias parcerias entre a Secretaria Municipjal de Saúde (SMS) e organizações sociais com a finalidade de substituir o serviço público de saúde por empresas de fachada incubidas de gerir a saúde municipal e facilitar um jogo de cartas marcadas.

A atual gestão começou e terminou no caos, com um impressionante esquema de corrupção descoberto no fechar das portas da gestão Micarla.

Leia mais em http://www.dnonline.com.br/

NÃO MAIS MICARLA DE SOUSA NA PREFEITURA

Tribuna do Norte | Micarla entra com pedido de habeas corpus no STJ

terça-feira, 6 de novembro de 2012

QUANTO MAIS PROCURA MAIS DEJETOS APARECEM

MICARLA É ACUSADA DE RECEBER PROPINAS


Maria da Guia Dantas e Sara Vasconcelos - repórteres
Jornal TRIBUNA DO NORTE - Natal / RN


Ao pedir à Justiça o afastamento da prefeita Micarla de Sousa (PV) o Ministério Público Estadual (MPE) elencou uma série de razões, entre elas o recebimento de propinas oriundas de contratos de fardamento e de merenda escolar; uma "incompatibilidade" entre o imposto de renda e os gastos mensais; e uma verdadeira "força-tarefa" de secretários visando, com recursos públicos, pagar as contas pessoais da chefe do Executivo e do então marido, Miguel Weber. Na peça de denúncia, o MPE revela com detalhes - possíveis graças à quebra dos sigilos fiscal e telefônico e de interceptações via SMS - "a verdadeira saga do fiel escudeiro", Francisco de Assis Viana, e, especialmente, do secretário de Planejamento (Sempla), Antônio Luna, para viabilizarem recursos com o fim de saldar dívidas e cobrir os cheques especiais e cartões de crédito da prefeita afastada. Segundo a denúncia, esses gastos mensais de Micarla incluíam a escola dos filhos e viagens com amigos. O sigilo da acusação está quebrado.

O suposto esquema fraudulento, segundo o Ministério Público, criou tentáculos e estava presente em vários setores do governo municipal. "Uma rede de corrupção disseminada por grande parte da estrutura organizacional da administração", disse o MPE. A prefeita Micarla de Sousa e o então marido, Miguel Weber, são citados como atores principais e responsáveis por articular uma rede de corrupção, cujos personagens e figurantes eram milimetricamente escolhidos, todos pertencentes a um fechado grupo de pessoas de extrema confiança.

"[Micarla de Sousa] sempre deteve o comando das negociações realizadas pelo grupo criminoso estruturado no âmbito do Poder Executivo Municipal", relatou o MPE. O procurador Manoel Onofre, que assina a denúncia, observa que a chefe do Executivo afastada requereu em diversos momentos, benesses do suposto esquema, o que o levou a concluir que Micarla de Sousa vinha administrando a cidade de maneira "irresponsável, a seu bel-prazer, fazendo com que a máquina pública trabalhe a seu favor e de alguns apaniguados, sem qualquer compromisso com o bem-estar da população". As provas mais contundentes foram colhidas de interceptações em e-mails e da busca e apreensão ocorrida na residência do ex-secretário Luna. O suposto esquema, ainda segundo o MPE, tinha cofre específico - as propinas cobradas nos contratos de terceirização da saúde, as quais já teriam atingido a impressionante marca dos R$ 65 milhões.

Por meio dos grampos e interceptações, foi possível descortinar a conturbada vida financeira da prefeita afastada - em um diálogo de Luna e Assis Viana se discutia como viabilizar recursos para tirar do vermelho a conta da chefe do Executivo no Banco do Brasil, cujo saldo negativo já ultrapassava os R$ 37 mil. "Ela disse que era preciso resolver até o meio-dia", alertava Viana ao ex-titular da Sempla. Na casa de Antônio Luna, foram encontrados boletos bancários, extratos de cartões de crédito, enfim, pelo menos duas planilhas mensais de gastos da então prefeita, de onde se concluiu a despesa mensal em torno de R$ 140 mil a R$ 190 mil, como antecipou a TRIBUNA DO NORTE. Ao declarar o imposto de renda, no entanto, Micarla de Sousa apresentou uma renda anual de R$ 338 mil/ano, o que dá R$ 28 mil/mês.

Ao acatar o pedido de afastamento do MPE, o desembargador Amaury Moura considerou os indícios como contundentes. Ele destacou a necessidade de aprofundamento das acusações e o dano ao erário. Hoje, o magistrado levará para julgamento do pleno do Tribunal de Justiça o recurso interposto pela defesa da prefeita, que pediu a retratação da decisão anterior.

MP aponta desvios nos contratos para compra de merenda e farda

Os indícios suscitados na denúncia do Ministério Público estadual canalizam ainda para a suposta divisão das propinas, que seriam rateadas entre a prefeita afastada, o marido e auxiliares. Em um flagrante do MPE, as interceptações revelaram repasses de R$ 60 mil para Micarla e o então marido, dos contratos de fardamento escolar; e, ainda, de R$ 80 mil, resultantes da "parte cabível" quando da aquisição de merendas para as escolas municipais. As cobranças eram feitas supostamente em percentuais de 10%. Luna, considerado pelo procurador o tesoureiro pessoal de Micarla, mencionava nos diálogos relativos às propinas apontadas como sendo do fardamento e da merenda as iniciais "M" e "W", segundo o MPE, Micarla e Weber.

Os diálogos entre Antônio Luna e Assis Viana são considerados pelo Ministério Público como a principal fonte de investigação que culminou no afastamento de Micarla de Sousa. Toda e qualquer viabilização de recursos em favor da prefeita eram imediatamente comunicados a Viana, que dava destinação aos montantes. Assis fora estrategicamente nomeado coordenador financeiro da SMS, segundo a procuradoria, para facilitar as transações. As interceptações telefônicas e a apreensão de aparelhos na operação assepsia revelaram ainda o forte vínculo de Assis com a chefe do Executivo, a ponto do mesmo possuir as senhas pessoais de bancos e cartões de créditos da chefe.

Desembargador não vê motivos para manter sigilo sobre ação

Os detalhes dos indícios existentes contra a prefeita Micarla de Sousa, afastada do cargo desde o último dia 31, e o marido dela, o empresário e radialista Miguel Weber, só foram divulgado ontem pelo Ministério Público Estadual. Desde a apresentação da denúncia, no dia 11 de outubro, a ação corria em "segredo de Justiça". Isso fez com que a opinião pública e a própria Micarla desconhecessem o teor das acusações. A TN cobrou, em dois editoriais, a divulgação.

O desembargador Amaury Moura decidiu suspender, em parte, o segredo de justiça atendendo pedido do Ministério Público. Na decisão, o desembargador voltou a reafirmar que, no momento em que determinou o afastamento da prefeita do cargo e negou os pedidos de divulgação da petição e da decisão, a quebra do sigilo não era possível para preservar o processo investigatório e também para evitar "o risco de prematura exposição indevida da imagem da investigada (Micarla de Souza) e das demais pessoas citadas no curso da investigação."

Ao analisar o pedido de reconsideração formulado pelo MPE, o desembargador considerou que os fatos tidos como sigilosos contidos nos autos já foram objeto de publicação na imprensa, inclusive motivando interpretações ou ilações que ele considerou "absurdamente distorcidas". Para Amaury Moura, os acontecimento não justificam mais a manutenção da medida, "até mesmo considerado agora o interesse público da sociedade a respeito da concreta e real situação do que está contido nos autos."

Miguel Weber articulava pagamentos

A atuação das Organizações Sociais, por meio de um esquema de fraudes investigado e denunciado pelo Ministério Público, na chamada Operação Assepsia, mostra indícios da participação do marido da prefeita Micarla de Sousa, o empresário e radialista Miguel Weber. O empresário, que não possui cargo no Município, aparece diversas vezes na denúncia, divulgada na segunda-feira, dia 5, intermediando pagamentos para a Associação Marca. A denúncia se refere ao processo de número 010760757.2011, do ITCI, responsável pelo projeto Natal contra a Dengue.

O radialista investigado aparece em negociação direta com o acusado Tufi Soares Meres, considerado o mentor do suposto esquema, em conversa extraído pela perícia da Polícia Federal do telefone da denunciada Rosi Bravo, administradora da Marca.

Na conversa, em 24 de abril deste ano, os dois marcam um encontro no estacionamento de um restaurante de Natal e Miguel Weber envia um "lembrete" com a seguintes datas e pagamentos: "30.01 R$ 2.435m, 30.01 2.435m e 23.02 R$ 2,435m e hoje + ou - 2,4 + 9% de reajuste. Mais 3,2 na sexta. Contabilize (sic)". E em seguida avisa: "Acabou de chegar ao gabinete da Prefeita recomendação do MP para cancelamento do contrato. Nem sei se você já sabe disso. Mas me senti na obrigação de avisar. Apesar de ter o silêncio como respostas há um bom tempo (sic)".

A conversa segue com a discussão sobre do Ministério Público e a reclamação por parte do marido da prefeita em que a situação seja conduzida pela diretora Rosi Bravo que "não resolve nada".

Em outro trecho da denúncia, Miguel Weber aparece novamente em conversa, de 25 de outubro de 2011, com o acusado Tufi Soares Meres. Dessa vez, para atender a pedido do diretor da Marca em liberar pagamento, com o intermédio de funcionário identificado como "Assis", para pagamento da UPA. Tufi reclama: "Preciso receber Upa. Não ha saldo para pagar salarios (sic)". Ao que o empresário, que não possui vínculo com a administração do município, responde: "Mandei Assis ir na control. Acho que conseguimos liberar hoje (sic)". E depois confirma o repasse de recursos para pagamento da Unidade de pronto Atendimento de Pajuçara.

A contratação de pessoal para atuar nas unidades de saúde geridas pela Associação Marca (AMarca) também passa pelo crivo do marido da prefeita Micarla de Sousa. Miguel Weber interfere na demissão de uma enfermeira da AME de Brasília Teimosa classificada por ele como "importantíssima para gente". E pede ainda mais duas vagas, uma de enfermeira e outra de dentista.

O empresário, ainda segundo informações contidas na denúncia, é citado em conversa (pelo "google talk") entre o lobista Claudio Valério que tenta convencer Vicente Saleck, controlador da MedSmart, a participar da expansão do esquema para outras unidades no Estado, após a rescisão do contrato com ITCI e investigação sobre a contratação da Associação Marca (AMarca), no Hospital da Mulher, em Mossoró. "O marido da prefeita se prontificou a resolver ou tentar o problema da OS aqui no estado que está no supremo (sic)", diz o texto.

Ex-secretário da Copa é citado

O ex-secretário Jean Valério, da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte, Lazer e Copa do Mundo, exonerado no último sábado, dia 4, também é citado em diálogos entre os investigados Alexandre Magno Alves de Souza e Rosi Bravo, procurador do Município e administradora da Marca, respectivamente.

De acordo com a denúncia, o diálogo de 21 de janeiro deste ano, mostra Bravo informando que o ex-secretário cogitava - como sugerido pelo procurador Alexandre Magno de Souza - a liberação de recursos do Município para pagamento referente as três unidades AMES, em Natal, antes mesmo da abertura do Orçamento Geral do Município.

O diálogo demonstra que a prática era antiga e que Jean Valério não sabia se seria possível liberar o montante requerido, por se tratar de um valor alto. "Jean disse isso tb, so disse q não sabee se pode fazer pagamento alto (sic)", diz Rosi Bravo ao procurador, que responde: "Pode. Ano passado seu pagamento foi feito assim em janeiro". Nesta conversa o funcionário identificado somente por "Assis" é novamente citado como facilitador do pagamento bastando apenas "se impor junto a control. (sic)".

Jean Valério protagoniza conversa com Rosi Bravo, em outro trecho da denúncia, em que o ex-secretário da Copa afirmar estar com a prefeita Micarla de Sousa no Rio de Janeiro e questiona se a Associação já efetuou o pagamento de pessoal das AMES e UPA, referente ao mês de agosto, em atraso, e já encaminhou a fatura e a prestação de contas do mês de setembro.

OPINIÃO: "A merda é grande."




A BUNDA DE RITA LEE PARA A HIPOCRISIA DO PAÍS

domingo, 4 de novembro de 2012

ESTAMOS CONCLUINDO UM CICLO


O SIGNIFICADO DOS MESES

Janeiro: Chamado assim em homenagem a Janus, o deus das portas e portões


Fevereiro: Deriva de Februalia, um período em que se faziam sacrifícios para ter os pecados perdoados

Março: Uma homenagem a Marte, o deus da guerra

Abril: Derivado do latim aperire, que significa abrir

Maio: Homenagem a Maia, a deusa do crescimento das plantas

Junho: Nome da deusa Junius, a forma latina da deusa grega Juno

Julho: Uma homenagem a imperador Julius Cesar, de Roma

Agosto: O nome homenageia César Augustus, outro imperador romano

Setembro: Uma derivação de septem, que e latim significa sete

Outobro: Do latim octo, que significa oito

Novembro: Do latim novem, que significa nove

Dezembro: Outra derivação de um nome latino, decem, que quer dizer dez

HOJE É O DIA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

OBSERVE QUE TUDO TEM UM TEMPO CERTO

PREFEITURA DO NATAL VOLTA A FUNCIONAR

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL INICIA OPERAÇÃO TAPA BURACOS.
 54 RUAS E AVENIDAS SERÃO RECUPERADAS. CONFIRA.

 



O prazo contratual para o término das obras previamente estabelecido em 180 dias, poderá ser reduzido para 120.

Veja abaixo quais ruas serão contempladas:

Zona Norte

Rua Serra Negra; Av. Rio Doce até Rua Atol das Rocas; Av. Pico do Cabugi; Av. Senhor do Bonfim até Rua Serra do Araguaia; Rua Gravataí; Rua da Serra do Araguaia até Av. Apucarana; Rua Itaboraí; Av. Apucarana até Av. Itapetinga; Rua Ilhéus; Av. Senhor do Bonfim até Av. Guadalupe; Rua Serra Negra II; Rua Atol das Rocas a Av. Pico do Cabugi; Av. Paulistana; Av Dr João Medeiros Filho até a Av. das Fronteiras; Av. Bahia; Av. João Medeiros Filho até a Rua Jequié; Av. Salvador; Rua Ilhéus a Rua Itabuna; Rua Juçara; Av. Senhor do Bonfim até a Av. Bahia; Rua Guararapes; Av Tocantínea até a Av. Cirandas; Av. Cheganças; Av. Cirandas até a Rua dos Caboclinhos; Rua do Pastoril; Av. Chegança até a Rua do Fandango; Rua Santa Luzia; Av. João Medeiros Filho até Rua Itambé; Av. Senhor do Bonfim; Av. João Medeiros Filho até a Rua Blumenau; Rua Blumenau; Av. Florianópolis até a Av. Senhor do Bonfim.

Zona Oeste

Av. Rio G. do Sul; Av. Ceará até a Av. Cap. Mor Gouveia; Av. Bom Pastor; Av. Cap. Mor Gouveia até Av. Bernardo Vieira; Av. Bom Pastor; Av. Cap. Mor Gouveia até Av. Lima e Silva; Av. Rio Grande. do Sul; Rua Pelotas até Av. Paraíba; Rua Rainha do Mar; Rua Paracati até Rua João Hélio Alves Rocha; Rua Mira Mangue; Rua João Hélio Alves Rocha até Rua Monte Rei; Rua Agrestina; Rua João Hélio Alves Rocha até a Monte Rei; Rua Monte Rei; Rua Agrestina até a Rua Mira Mangue; Rua João Hélio A. Rocha; Linha Férrea até a Rua Agrestina; Rua Paracati; Rua Mira Mangue até a Linha Férrea; Av. Paraíba; Av. Rio Grande do Norte até Rua Adolfo Gordo; Av. Ceará; Av. Rio Grande do Norte até Av. Rio Grande do Sul; Av. Perimetral Leste; Rua Stª. Verônica até Av. Brasil; Av. Cel. Estevam; Av. Nascimento de Castro até Rua Mira Morro; Av. Mário Negócio I; Rua Jandira até Linha Férrea Hosp. Giselda Trigueiro; Av. Paraíba; Av. Rio Grande do Norte até Rua Adolfo Gordo; Rua Santa Verônica; Rua Stª. Cristina até Av. Perimetral Leste.

Zona Leste

Av. Mário Negócio II – Linha Férrea Hospital Giselda Trigueiro até Av. Presidente Bandeira; Rua Amaro Barreto; Av. Pte. Bandeira até Av. Alexandrino de Alencar; Av. Mons. Walfredo Gurgel; Viaduto do Baldo até Av. Prud. de Morais; Av. Gust. Cordeiro de Farias; Av. Floriano Peixoto até Av. Deodoro; Praça José da Penha; Contorno em Frente à Igreja Bom Jesus (Ribeira); Av. Junqueira Aires; Rua Juvino Barreto até Cap. das Artes; Rua Padre João Manoel; Capitania das Artes até a Rua Ulisses Caldas; Rua Nelson Fernandes; Av. Prudente de Morais até a Av. Romualdo Galvão.

Zona Sul

Av. Prudente de Morais; Av. Amintas Barros até Av. Cap. Mor Gouveia; Av. Norton Chaves; Av. Salgado Filho até a Rua Djalma Maranhão; Av Jaguarari – Lagoa da Petrobras até a Av. Vinte e Três; Rua da Saudade; Av. Xavier da Silveira até Rua Djalma Maranhão; Rua Djalma Maranhão; Rua da Saudade até Rua Cel. Norton Chaves; Av. das Alagoas; Av. Dão Silveira-(BR-101) até Rua Araxá; Av Porto de Pedras; Av das Alagoas até a Av São João Del Rey; Av São Miguel dos Caribes; Av das Alagoas até a Rua Poço de Caldas; Av. Nascimento de Castro; Av. Salgado Filho até Rua Jaguarari; Av. Nascimento de Castro; Av. Salgado Filho até Av. Xavier da Silveira; Av. Xavier da Silveira; Av. Bernardo Vieira até Rua da Saudade; Av. dos Pinheirais; Av. Ayrton Senna até Alameda das Acácias; Alameda das Acácias; Av. dos Ipês até Alamedas dos Eucaliptos; Av. dos Ipês; Av. Ayrton Senna até Alameda das Acácias; Av. Santos Dumont; Marginal da BR-101 até Av. Passeio dos Girassóis; Av Bento Gonçalves; Av Prud. Morais até a Av. Mal Rondon e Rótula Igreja; Av das Perdizes; Av Caiapós até Rua dos Pintassilgos.



sábado, 3 de novembro de 2012

NOSSO BLOG RETORNA EM TEMPO QUENTE

COMO PROMETIDO, O BLOG RETORNA
APÓS  O MOMENTO POLÍTICO DAS ELEIÇÕES EM NOSSA CIDADE NATAL.
CARLOS EDUARDO ELEITO PREFEITO.
PAULINHO FREIRE ATUALMENTE PREFEITO EM MOMENTO DE TRANSIÇÃO.
MICARLA DE SOUSA, EX-PREFEITA AFASTADA DA PREFEITURA PELA JUSTIÇA.

MOMENTO QUENTE


NOSSO BLOG ESTÁ A CAMINHO DOS 100.000 ACESSOS.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

+++++ PASSAGEM DESBOTADA NA MEMÓRIA +++++

VAI PASSAR

Chico Buarque



Vai passar nessa avenida um samba popular

Cada paralelepípedo da velha cidade essa noite vai se arrepiar

Ao lembrar que aqui passaram sambas imortais

Que aqui sangraram pelos nossos pés

Que aqui sambaram nossos ancestrais

Num tempo página infeliz da nossa história,

passagem desbotada na memória

...Das nossas novas gerações

Dormia a nossa pátria mãe tão distraída

sem perceber que era subtraída

Em tenebrosas transações

Seus filhos erravam cegos pelo continente,

levavam pedras feito penitentes

Erguendo estranhas catedrais

E um dia, afinal, tinham o direito a uma alegria fugaz

Uma ofegante epidemia que se chamava carnaval,

o carnaval, o carnaval

Vai passar, palmas pra ala dos barões famintos

O bloco dos napoleões retintos

e os pigmeus do boulevard

Meu Deus, vem olhar, vem ver de perto uma cidade a cantar

A evolução da liberdade até o dia clarear

Ai que vida boa, ô lerê,

ai que vida boa, ô lará

O estandarte do sanatório geral vai passar

Ai que vida boa, ô lerê,

ai que vida boa, ô lará

O estandarte do sanatório geral... vai passar

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

UMA GOVERNADORA PARA O PAÍS DE MOSSORÓ

Rosalba: Longe de Natal por Vicente Serejo




Blog reproduz coluna do Jornalista Vicente Serejo escrita no Jornal de Hoje de ontem.



Não vem das elites natalenses, movidas por velhos sentimentos competitivos ou coisas que tais, a força que impõe até agora um insuperável distanciamento entre a governadora Rosalba Ciarlini e a capital do estado que governa. Quem lança o olhar livre do escapismo racional que inventa uma razão para fugir da verdade, percebe que a postura do rosalbismo substitui a sedução pela segregação de um povo que, antes de pedir ou receber, lhe ofereceu duas grandes vitórias para o Governo e o Senado.



Depois, e como se já não bastasse, as falas e posicionamentos da governadora não têm passado ao natalense o menor desejo e gosto por seduzir a sua gente. Pelo contrário: abandonou a cidade, como na atual campanha, como se Natal não tivesse no seu governo a menor importância, transferindo para Mossoró quase vinte milhões de reais em obras não prioritárias, como reformas da estação rodoviária, do estádio de futebol e teatro, em plena vigência do estado de calamidade na saúde que ela decretou.


Alguma mentalidade sectária ou obediente argumentará que Mossoró é a sua fortaleza política e até o seu reinado. Pode ser. E é natural que seja. Mas na política se há de pesar e sopesar cada gesto. Nenhuma postura pública tem direito de ousar tanto como desconhecer a maior caixa de ressonância da opinião pública sem pagar um preço elevado. A opção pela saúde deveria ter sido um marco desde o primeiro dia da vigência da calamidade, há mais de três meses, e não agora e como uma desculpa.



A cúpula política rosalbista sabe o que todos sabem: o deputado Henrique Alves, comandante em chefe da campanha de Hermano Morais, e o senador Garibaldi Filho, não gostariam de assistir ao gesto e ouvir a declaração do apoio da governadora. Como seriam o seu gesto e a sua palavra? Seriam como foram para o candidato Rogério Marinho? De nenhum relevância ou empenho, transformando o aliado em herdeiro do abandono? Ao contrário do esforço do PMDB lutando nas ruas a toda hora?



O comando rosalbista sabe lutar, sim, e vencer os obstáculos. Tanto sabe que deu exemplos de destemor e superação não só em Mossoró – seria uma referência distante – mas em Natal, vencendo no espaço de quatro anos e em duas eleições majoritárias, o senador Fernando Bezerra, a governadora Wilma de Faria e o então governador Iberê Ferreira de Souza. E em nenhum desses instantes sequer era a favorita nas urnas natalenses, pelo menos a julgar pelas previsões dos institutos de pesquisa.



Até agora – eis a verdade nua e crua para repetir o velho clichê tão gasto – o destino de Natal e dos natalenses interessa muito pouco ao Governo Rosalba Ciarlini, se julgada a sua postura e os seus gestos, se é deles que nasce uma boa relação de amistosa convivência. Desta vez – tem sido assim – nem pelo artificialismo do marketing o governo tem pretendido conquistar a cidade. Como se para tê-la outra vez bastasse apenas esperar o dia de mover catracas e cremalheiras de sua máquina gigante

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

HOMENAGEM AOS ETERNOS PROFESSORES

ABAIXO, COM MINHA PROFESSORA DO SEGUNDO ANO


MINHA TURMA DO SEGUNDO ANO
EM PÉ, DE PRETO, MINHA MÃE, DO LADO A PROFESSORINHA
NO LADO DIREITO, PRIMEIRA FILA, MEU IRMÃO, EU E UM AMIGUINHO


TUDO ISSO EM MOSSORÓ, NO BAIRRO DO ALTO DA CONCEIÇÃI

A JORNALISTA CAMILLA PIMENTEL COM ROSALBA

 

De ELIANA LIMA, TRIBUNA DO NORTE - NATAL / RN

Abelhinha por um dia com Rosalba Ciarlini

14 de Outubro de 2012
A partir de hoje, as colunas de domingo revelarão um dia, pessoal e de trabalho, de personalidades das terras dos potis-expoentes. Seja na área política, empresarial, médica, da sociedade, etc e mais. Reportagem que será feita por um jornalista convidado. Se mulher, Abelhinha por um dia. Se homem, Zangão por um dia. Se Vespa? Também.

Quem inicia é a jornalista Camilla Pimentel, que passou o dia da última quarta-feira com a maior expressão do Estado atualmente: a governadora Rosalba Ciarlini.

» Despertar

6h50, começava a acordar a quarta-feira. Na Casa Rosado, ouvia-se apenas o vento batendo nas plantas e o som dos pássaros. Por volta das 7h30, a governadora surge na varanda para falar com a sua secretária Iris Machado e com a ajudante de ordem, Capitã Magna, que já estavam na residência para acompanhar a chefe em sua agenda.

Convidou todos para o café matinal. De secretário, apenas o da Comunicação, Alexandre Mulatinho. No desjejum, Rosalba deu prioridade a mamão e banana. Arriscou no queijo de coalho assado. Fez questão de frisar: “Ahh...esse queijo é uma delícia, merece provar. Ganhei de um amigo lá de Mossoró”.

Quase 8h30, o staff a postos para o primeiro compromisso do dia: visita ao Hospital João Machado.  Ao entrar no carro, o velho esquecimento feminino: “Peraí, deixe eu ver se eu trouxe o meu celular. Ah, está aqui”, tranquilizou-se.

» Termômetro

No João Machado, aguardava a secretária Kátia Pinto (Infraestrutura). Mostrou a obra de construção de 31 leitos. Segue para despachar na Governadoria. Já no gabinete, reunião com o secretário Aldair Rocha (Segurança). Mesmo tempo em que assinou processos levados pelo chefe do Gabinete Civil, Anselmo Carvalho. Aldair Rocha informou a boa nova: entrega de 1.200 coletes para a PM e 30 caminhonetes Ranger para a Polícia Civil.

» Ligação alvinegra

Ainda de manhã, a governadora recebeu o presidente do ABC, Rubens Guilherme, e alunos da rede estadual de ensino, ganhadores do concurso de redação do Proerd. A aluna Kettuliane do Nascimento entregou à governadora um abaixo-assinado pela construção da quadra de esportes da Escola Estadual Maria Queiroz, em Felipe Camarão.

» Caderno

Pouco depois das 11h, pressa para chegar à Escola Edgar Barbosa e conferir o funcionamento do SigEduc, programa de informática para matrículas, lançamentos de notas e conteúdo virtual. Pausa para o velório do engenheiro Camilo Barreto, marido de Anna Maria Cascudo. De lá, Residência Oficial. Almoçar e afivelar a mala, rumo a Brasília.

» Íntimo e pessoal

O primeiro-cavalheiro Carlos Augusto Rosado estava na sala em tête-à-tête com o deputado Leonardo Nogueira (DEM), testemunhado pelo adjunto do Gabinete Civil, Galbi Saldanha. Quando a Abelhinha chegou, o parlamentar já se preparava para sair.

Como Rosalba não retornou à Governadoria, o secretário José Airton (Tributação) chega à casa às 12h45 para conversar com a chefe. Após, a governadora se dirigiu à mesa e convidou todos a almoçar. Mais uma vez Carlos Augusto não participou da refeição. Mas não resistiu a hora da sobremesa. Desculpou-se pela ausência no almoço. A mulher, então, pergunta: “Meu marido, você já almoçou?”.

» Delícia

Perdeu um cardápio supimpa, preparado pelos chefs Heloísa e Evilberto: Salpicão de forno, filé ao molho de gorgonzola e champinhon; frango com ervas; arroz ao curry, feijão verde com queijo de coalho; macaxeira frita. De sobremesa: mousses de limão e maracujá.

» Acelerando

Depois do almoço, malas no carro e direto para o Aeroporto Augusto Severo. Às 13h20, a governadora embarcou para a capital federal, acompanhada dos secretários Gilberto Jales (Recursos Hídricos) e Kátia Pinto. Na agenda, audiência com o ministro Fernando Coelho (Integração).

Também decolou o maridón. Foi visitar o filho Kadu, que está morando na Corte. A esposa lamentou: “Como eu queria ficar até domingo e matar a saudade do meu filho. Carlos Augusto teve sorte e vai ficar”,

No Aeroporto, a Abelhinha manteve o segundo contato com o recluso marido da governadora. Nada que lembrasse o lado ravengar tão propalado. Foi muito simpático. Incorporou um repórter e perguntou à Abelhinha: “Há quanto tempo você se formou?”. Parou na livraria. Comprou o livro ‘Etiqueta Sem Fescura’, de Cláudia Matarazzo. Para surpresa da Abelhinha, presenteou-a. Será sempre assim ou estava num momento de felicidade extra pela vitória em Mossoró e na Grande Natal? Ficou a dúvida. A impressão registrada foi o bom-humor de Carlos Augusto. Mas, não deu oportunidade para ouvir as perguntas que estavam na ponta: indicação para o TCE, sua participação nas decisões do governo, sua ida para o Gabinete Civil. Ou.

» Rosalba mulher


Que cheiro a Rosa exala? “Adoro perfume, mas o que eu gosto mesmo para o cotidiano é lavanda. Tomo um banho de lavandada antes de sair de casa”. Quanto ao cabelo, a agenda intensa impossibilita cuidados em salão de beleza: “Ontem, eu mesmo pintei meu cabelo”. Revela mais: “No sábado, quando vou fazer minha unha, eu é que vou dirigindo”. A maquiagem é de boa qualidade, e eclética: “Uso MAC, Shiseido e Boticário”. No zelo com a pele, não dorme com maquiagem.

De indumentária, não é muito exigente em relação a marcas famosas: “Se gostar, eu compro. Semana passada comprei uma blusa na Riachuelo”. Olhaí, Flávio Rocha!

» Rosalba mãe e avó

“Não abro mão de tirar um tempo para os meus netos. Todo fim de semana eles vêm para a minha casa e almoçamos juntos. E os que moram longe eu falo por telefone, sempre”.

Na cozinha, colher de pau nas panelas. Adora camarão. De sobremesa, “nada melhor que uma goiabada com queijo”, o famoso Romeu e Julieta. E faz compras: “Gosto de ir ao supermercado. Em Brasília faço questão de fazer feira com meu filho Kadu. É uma terapia ir ao supermercado”.

» Administração

Indagada sobre mudanças no secretariado, fez cara de surpresa. Disse apenas que não pretende. Quanto ao TCE, desconversou. Alegou que ainda analisa.
Sobre o maridón no comando da Casa Civil: “Já disse que ele será bem-vindo. Carlos Augusto foi um ótimo presidente da Assembleia Legislativa, é um ótimo gestor, sabe administrar”. Então, é aguardar.

» Interferência ravengariana

Afirmou: “Carlos Augusto, se tiver vindo muito aqui na Governadoria, foi só duas vezes”, encerrando logo a conversa.

» Eleições 2012

Vitória em Mossoró: “Comemorei e comemoro até hoje. Essa vitória tem um sabor especial, porque foi de virada. Minha candidata estava atrás nas pesquisas e ganhou com cinco pontos de vantagem”. E disse o que ainda não se atentou: “Ganhamos em quase todos os municípios da Grande Natal. Só perdemos em Parnamrim. Em Extremoz, Macaíba, Ceará-Mirim, São Gonçalo do Amarante, todos os candidatos que ganharam tinham o nosso apoio”.

Segundo turno em Natal? Não quis se pronunciar sobre apoio.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

VOLTAREMOS APÓS O SEGUNDO TURNO

PARA EVITAR PROBLEMINHAS, O BLOG RESOLVEU ISOLAR-SE NA DISPUTA À PREFEITURA DE NATAL/RN POR SER SERVIDOR PÚBLICO.
APÓS SEGUNDO TURNO RETORNAREMOS.
 ESTAMOS ALCANÇANDO 100.000 ACESSOS.

OBRIGADO A VOCÊ.






quinta-feira, 20 de setembro de 2012

O BLOG AGUADA O FIM DO MOMENTO POLÍTICO

ENQUANTO ELES BRIGAM NA TV ESTE BLOG AGUARDA A ABERTURA DAS URNAS




sábado, 30 de junho de 2012

sexta-feira, 25 de maio de 2012

MINHA ETERNA E MARAVILHOSA AVÓ. UM AMOR.

VOVÓ FOI E É ESPECIAL. CALMA E AMADA DO MEU AVÔ SEMPRE FOI ESPECIAL PARA CADA UM DE NÓS. UM JEITO DELICADO DE AMAR A TODOS.
VOVÓ, EU TE AMO ETERNAMENTE.
ETERNAMENTE VOVÓ.

OS ARABESCOS DE RICARDO RODRIGUES







sábado, 19 de maio de 2012

SAÍ DO CHÃO PARA O TETO ELEGANTEMENTE

É de forma sublime que a vida silenciosamente trata de colocar as devidas peças nos devidos lugares. A honestidade é base para o crescimento. A vida é uma lição diária. Para quê ter um poder e não saber ser. Vamos todos partir. Que tenhamos dignidade!!!

- VAMOS RESPEITAR O SERVIÇO PÚBLICO.

UM DEDO DE PROSA PARA UM VERSO INVERSO

Vou jogar um poema pra que você me veja na linha do meu tempo.
Vou fazer um invento onde o próprio vento te traga na fragância da paíxão.

Eu ilusão...

sexta-feira, 2 de março de 2012

MANOEL GOMES EM GRANDE ESTILO


Ensaio fotográfico para a marca R8SM com Thiago Varela.